domingo, 23 de abril de 2017

Você era

Você era meu ditador
Você era meu opressor
Você era meu desanimador
Você nem era meu merecedor

Você era um frio calculador
Você era um ameaçador
Você era um terrível pecador
Você nem era de verdade o meu amor

Você era sempre o Salvador
Você era o tenente do horror
Você era o meu seguidor
Você nem soube aproveitar o meu calor

Você era o que nem queria ser
Você era mais que todos e não conseguia ver
Você era tudo que eu não tinha mais explicação
Você era dono do meu coração

Brilho nos olhos

Quando consigo ver o brilho nos seus olhos quando me olha, é como se renovasse a minha alma com um banho de esperança.

Assinado: a saudade

"É só ler a frase da cabeceira até que ela se torne real, e tu conseguir apagar ela com álcool gel numa boa."

sexta-feira, 24 de março de 2017

A saudade sabe onde me encontrar

Depois de cada despedida eu me sinto só, após cada abraço apertado eu me tranco mais profundo, e por mais que eu pareça intacto volto pra casa juntando caquinhos de mim.
Tento ocupar o espaço que seu vácuo deixou, traço laços, conto fechos, rego o jardim, brinco com os gatos, mas por mais que eu me esconda da saudade, parece que ela sabe me encontrar.

"Reprimir os verdadeiros desejos não significa eliminá-los" - W.Reich.

domingo, 19 de março de 2017

Templo

Eu ergui um templo
Bem na porta da sua casa
Nele esqueço do tempo
Quase que crio asas

Quando chego apressado
Ou se venho de surpresa
Abro logo o cadeado
Deixo a bolsa na mesa

E do lado de dentro
Ontem a noite eu me deitei
Mais pro canto que pro centro
Do colchão eu te guiei

Vou embora com saudade
Do templo que eu criei
E pra sentir a realidade
Dei meia volta e voltei

Pra ninar você, sorriso

Eu procuro seu corpo
Debaixo da coberta
Que era minha e sua
E agora é só minha

No escuro brilha o olho
Do qual eu procuro alerta
Vendo o que era meu e seu
Mas só quem vê sou eu

Mal divido o espaço
Entre as pernas e o abraço
Mas durmo até no buraco
Se posto em postas contigo

Nem disputo travesseiro
Se posso sentir seu cheiro
Entre a fronha e seu cabelo
Eu encontro o que eu preciso

quarta-feira, 15 de março de 2017

Desmentindo

Parece que eu estou preso num mundo falso onde ninguém mais faz parte, e pra me adequar e conviver com as diferenças eu finjo ser alguém que eu não sou.
O meu comportamento, as vestes, o desejo e a intolerância foram encobertas pela massificação moralista em que eu construí minha essência, e essa construção que está ainda tão sólida e enraizada necessita de mudanças.
Mas mudanças são feitas de pequenos gestos diários, porque um amanhã sem mentiras começa com um hoje desmentindo.

Bem que eu queria

Bem que eu queria
Poder ter denovo
A direção da sua casa

Bem que eu queria
Te ver chegar esperançoso
Pela madrugada

Bem que eu queria
Saber do teu gosto
E te satisfazer com nada

Bem que eu queria
Não esquecer seu rosto
E não apagar cada memória

Bem que eu queria
Ser feliz denovo
E poder rir da sua vida

Bem que eu queria
Me perfumar do gosto
Do teu corpo, sua saliva

Bem que eu queria
Não te querer só mais um dia
Depois de outro dia

Bem que eu queria
Bem que eu queria
Bem que eu queria

Era só o bem que eu queria.

segunda-feira, 13 de março de 2017

Aquilo que eu não posso te dar

Tente meu amor, pode tentar, não perca suas aventuras por um tempo que eu não posso te dar, não jogue fora seus primeiros únicos encontros com quem só quer brincar, e mesmo que seja isso o que você quer, saiba que aqui está guardado seu lugar, porque não cabe mais ninguém aqui, em nenhum outro formato, estou sem qualquer interesse, esse que não te privo.
Pode ir meu amor, eu me alimento das lembranças boas, jogo migalhas no caminho pra não desviar, e mesmo que a saudade aperte o peito a latejar, eu sei meu maior amor, eu aguento tudo se quiser ficar.

Acho que eu sonhei com seu altar

Eu fui te visitar, eu estive lá e era real, os cheiros eram de verdade, o toque, o gosto, o teu colchão, tudo como nos meus sonhos, só que real.
O que mais me surpreendeu foi ver que meu porta retrato ainda está no seu altar, meio empoeirado, mas intacto.
Peguei a escada, subi com determinação, lustrei o porta retrato,  deixei ele brilhando como no dia em que comprou.
A minha foto, com pupilas nitidamente apaixonadas, com o típico brilho ressaltado, denunciava a mais singela emoção, o puro bem estar.
E sobre estar com você, o que posso dizer senão que a vida enxerga o sentido, como se o mato só abrisse caminho no trajeto pra te encontrar.