terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Poesia, jovem

Isso aqui é poesia, desde o papel e a caneta, até o tempo e o pensamento, meu investimento intelectual, isso é poesia, é o instante em que se põe pra fora, é o momento que se exterioriza, a poesia está dentro de uma poesia.


A que te toca


A que te recoloca


Aquela, que te questiona o medo


A poesia que descreve o frio na espinha


A que te leva de onde você estiver


Mãos pro alto, esvazie os pensamentos


E se joga, que tem poesia.

domingo, 12 de novembro de 2017

Primeiro olhar

Deite os olhos em mim
Deixe eles devorarem
Jogue tudo nesse olhar
Explore um tempo, de passagem
Descubra um novo lugar
Desenhe as linhas do meu corpo
Veja aonde que vai dar
Siga o instinto e não desvie
Só me olha, sem parar

sábado, 11 de novembro de 2017

Castelo

Decoramos todas as estrelas daquela noite

Viajamos as constelações

O vento que gelava o meu rosto

Era o mesmo que esfriava o seu corpo

E invadia o castelo que criamos em torno de nós

A construção sólida a nossa volta

Que nos abrigava em nossa noite a sós

Envolvendo nossa intimidade

Levando toda maldade como pó


Mas vai tudo se encaixar

E ficar muito bem

Porque tudo tem seu tempo

E o nosso tem outra medida

Mesmo de portas abertas

E com passagem livre pelo outro

São apenas kilometros que separam

Os corpos mas não o desejo


Calculamos, refizemos, repensamos 

E nos encontramos em nós

Chamuscados

E com várias dores do passado

Nós fizemos história

Estamos contando ela agora


Dentro de mim

Tomou um espaço ora vago

Dentro de ti

Ocupei tudo o que me cabia

Dentro de nós

A partir de agora

Só fecho os olhos

Para tê-lo comigo em nosso castelo

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Tempestade é o amor

É como abrir a porta da frente para uma tempestade de areia, ela entra com força e impregna até nos cantos mais escondidos, gruda na casa para ser lembrada em cada cômodo, permanece por muito tempo até ser limpa novamente.
Depois de trancada a porta, a casa limpa, impecável até,

Abro a porta novamente...

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Dois perdidos

São dois perdidos, duas almas solitárias que encontraram involuntário preenchimento mútuo de seus vazios.  Não combinam, nem desejam o mesmo, nunca estão prontos e a direção parece nunca ser a mesma, mas existe, pulsante, enérgica e vigorosa a vontade de se unir e amar até o fim chegar, existe, feita de ansiedade, carregada de espera e passos no escuro, pesada do melhor que se pode esperar.


quinta-feira, 13 de julho de 2017

Sendo seu

Sendo seu, eu sou eu do meu melhor jeito
E só sendo assim, meu eu seu, eu me sinto tão direito
Porque sendo assim eu completo o meu peito
Sendo eu peça sua, o meu jogo esta perfeito

Sendo eu parte sua, a sua parte eu aceito
Sendo concordantemente e plenamente satisfeito
Somos nossos, meu e seu, sem erro e nem defeito
Sigo sendo tanto seu quanto você tem me feito

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Trecho de "alma miserável"

"

Fui eu que inventei você, antes de mim você não existia não, era apenas um vácuo, o fraco do fraco, reprimido em sua insignificância medíocre, castigado com o peso de ser só mais um, sem brilho e sem alma, ah... Você não tinha nem noção de mundo, tremia só de pensar em ambição e seu futebol não enganava ninguém.

"

sábado, 8 de julho de 2017

O poeta brasileiro

O poeta não tem medo, cutuca a ferida viva, sofre com as palavras, perdoa sem culpa nem juízo. O poeta é direto, quente, longe, se envenena para não morrer, escreve pra sobreviver, morre de dor de cotovelo e não dá a cara se não for pra bater. O poeta se intimida, admira, conquista, envolve, realiza o que está oculto na cabeça de tantas outras pessoas, e está na cara do mundo. O poeta sabe o que dizer na hora certa, sabe o que sentir quando precisa, sabe o que escrever para chocar e tem pavor de ninguém gostar. O poeta é uma pessoa comum, como eu ou você, tem seus receios, esconde alguns desejos, dá a vida por dinheiro, paga imposto o ano inteiro, já falou do rio de janeiro e trabalha de fevereiro a fevereiro. Ri, chora, sente e escreve, esse é o poeta brasileiro.

O vento

Deixa o vento te contar os segredos que só ele sabe sobre mim...

Para que você se torne mais íntimo.

Meu respeito, meu prazer

Eu só faço o que me dá prazer, e respeito quem me faz querer mais.