quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

A poesia dos teus olhos

Durante minha existência nunca avistei coisa mais saborosa que seu olhar: cheio de mistérios, pleno de desejo, curto como uma canção. É como se eu voasse num sonho que o fim nunca acaba, cujas possibilidades são tamanhas.
As intermináveis horas que pasei tentando distinguir todos os seus olhares me fizeram acreditar quepalpita forte meu coração quando estes passam calmamente pelo meu corpo, desejando devorar cada curva e desbravar toda a imensa barreira de incerteza das suas idéias.
És frio quando esqueces a profundidade dos teus olhos e os retem como duas bombas prestes a destruir sua lucidez mas tão quente quando os deleita em meus olhos, falando com o olhar, que investes tua alma em nosso futuro brilhante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário